sexta-feira, 27 de março de 2009

A piada do ano: dona da Daslu condenada a 94 anos de prisão!

Só um juiz brasileiro mesmo para soltar uma pérola, digo, sentença dessas (link com notícia completa). Obviamente, bem mais ridículas que a sentença, são as leis brasileiras que condenam a produção, a riqueza e consagram uma mentalidade anti-capitalista, anti-lucro e anti-sucesso. O caso Daslu é o retrato da perseguição que um bando de burocratas esquerdistas fazem contra o sucesso, contra aqueles que trabalham e ganham dinheiro com seu próprio esforço e mérito.

E não aceito, para não dizer que considero patético, o argumento de que ela “nos roubou” sonegando impostos. Ela é que é roubada pelo governo. Ninguém tem direito ao dinheiro / bens que outro produziu, que outro gerou. Driblar a injustiça, como as regulações e leis absurdas que temos aqui, jamais será crime. Os empresários sonegadores deste e de tantos outros países governados por uma mentalidade sofrível de inveja e condenação ao lucro são verdadeiros hérois.

Aliás, é assustador o que nossos estatólatras conseguiram fazer. Existem tantas leis, tantos regulamentos no Brasil que, aqui, a sobrevivência humana através da produção, de forma digna e justa seria impossível senão fosse o “jeitinho”, a sonegação, os desvios… Mas essas leis não são “free cost”. Com elas praticamente o país inteiro é criminoso, o que gera economicamente uma absurda ineficiência (não é atoa que somos economicamente o que somos). Por exemplo, uma empresa que não tem funcionários registrados (o que é a coisa mais comum do mundo, mesmo sendo um “crime” – é rir para não chorar), não pode crescer e “aparecer” com maiores lucros e produtividade porque será mais fácil ser pega e caso seja pega, cumprir todas as regulações torna o negócio inviável. Um outro exemplo bastante conhecido é o de entrada de Bolsas e abertura de capital. As empresas de médio ou até grande porte em geral cometem várias “irregularidades” para escaparem de impostos e regulações. Para entrar em bolsa são necessárias práticas contábeis mais rigorosas, que por um lado gerariam muito mais tributos para serem pagos, corroendo todo o lucro que a empresa poderia ter abrindo o capital. Ou seja, as empresas não tem acesso a uma das grandes fontes de capitalização existentes no mundo, logo investem menos e ficam menos produtivas.

No entanto, o pior é o que acontece com a liberdade. Nós somos reféns do governo. Somos todos criminosos e só estamos à solta devido a “vista grossa” do governo. A qualquer momento podemos ser presos, do nada, porque lá atrás, sem nem lembrar, matamos um periquito rosa do bico curvo em um passeio no parque com a família ou porque oferecemos R$20,00 para aquele menino de rua que fica pedindo esmola na frente da lojinha limpar a calçada. Isso para não falar em outros exemplos. Sempre o governo terá algo com que te incriminar. Basta você incomodá-lo (ou incomodar quem está no poder), que ele lhe prenderá, lhe perseguirá como em qualquer regime totalitário, com a diferença de que estará fazendo isso sob o rótulo da “legalidade”, “dentro da lei e da justiça”, “do estado de direito”. É a forma mais cruel e efetiva de totalitarismo. É uma obrigação dos liberais denunciar esse estado de coisas.

Para completar a piada, se não bastasse, a sentença foi de incríveis 94 anos de prisão!!!!! Acho que se alguém sair por aí matando uns 2 ou 3, consegue pegar menos (se bobear não pega nada, será considerado doente mental ou uma vitima perturbada dessa sociedade capitalista que só pensa em lucro e em produzir). Talvez até ganhe um filme nacional contando sua “verdadeira história”. Claro, financiado totalmente com impostos já que os cineastas brasileiros acham que lucrar fazendo algo que o público deseja ver é pecado.

9 comentários:

robertochiocca disse...

"A LEI PERVERTIDA! E com ela os poderes de polícia do Estado também pervertidos! A lei, digo, não somente distanciada de sua própria finalidade, mas voltada para a consecução de um objetivo inteiramente oposto! A lei transformada em instrumento de qualquer tipo de ambição, ao invés de ser usada como freio para reprimi-la! A lei servindo à iniqüidade, em vez de, como deveria ser sua função, puni-la!
Se isto é verdade, trata-se de um caso muito sério, e é meu dever moral chamar a atenção de meus concidadãos para ele."

sol-moras-segabinaze disse...

http://sol-moras-segabinaze.blogspot.com/2009/03/refens-do-governo.html

André Silva disse...

Richard a caminho da loucura. Daqui a pouco você vai querer mobilizar a população em defesa da dona da Daslu. Se você fosse mulher, te acusariam de escrever este texto de TPM!

Eduardo disse...

Para André Silva: Com certeza absoluta afirmo que não tens a menor noção do que acontece no Brasil e no mundo, portanto estude Direito, Economia e um pouquinho de ciências políticas, aprenda a escrever para depois voltar aqui e se retratar dessa verborragia insípida e sem análise crítica. Caso você tivesse um "pingo" de noção da ditadura esquerdista instaurada em "nosso país" não chamaria o estudioso colega de "louco". Um caso como esse merece SIM uma mobilização nacional a favor da "dona da Daslu". Se algum dia na vida você começar a trabalhar e até sonhar em ser "empreendedor", cuidado pois terá de fazer um pacto com o demônio "LUCRO". É, esse demônio já comeu muitas crianças pelo mundo a fora, garanto que você conhece essas historinhas da escola ou de casa. Pois bem nobre colega, se você acha que o proletário é explorado, tente algum dia abrir o seu próprio negócio. Você não vai durar um mísero mês. Aposto que você defende os camelôs quando eles apanham da polícia mas esquece de todos os crimes que foram cometidos até que as "mercadorias" cheguem às ruas, no entanto, esses não são criminósos pois ainda não ostentam um alto padrão de vida. A partir de quando um deles ficar rico, aí sim deve o Estado indiciar esse "monstro capitalista". Por favor André Silva, trabalhe um dia na vida e tente conhecer a realidade. Não seja uma eterna criança maconheira que reclama de tudo e nada produz.
Um abraço a todos!

André Silva disse...

Prezado Eduardo,

achei sua resposta bastante interessante. Tentarei responder da forma mais direta e objetiva possível.

Primeiro, devo pontuar que eu trabalho e todos em casa são profissionais liberais.

Segundo, eu trabalho como economista e sou remunerado por isto. Ou seja, o mercado atesta que tenho conhecimentos de economia.

Terceiro, comentários como "demônio já comeu muitas crianças pelo mundo a fora" revela infantilidade e desconhecimento de gramática, pois se escreve afora.

Quarto, seus comentários do tipo "deixa de ser uma criança maconheira" revela uma falta de equilíbrio emocional. Recomendo fortemente que você procure ajuda.

Caro Eduardo, eu não acredito que o empregado é explorado, não creio em direitos naturais e não sou defensor do governo. Acho que cada um busca o que acredita ser o melhor e disto surge o governo e suas normas. É uma relação de forças e isto é tudo o que importa.

Por fim, já que você é bastante radical na luta contra as injustiças, peço-lhe que proteste da seguinte forma: Como o policial é pago com dinheiro de impostos, quando quiserem te assaltar não procure a polícia. Se a USP te aceitar como aluno ou quiser te contratar, rejeite. Evite hospitais públicos, não use água ou gás encanado. Tenho certeza que deste modo você conseguirá chamar atenção para sua causa.

Voto pelo sucesso de sua empreitada.

ps: "criminósos" não tem este acento e antes de "mas" e "pois" se coloca acento.

Joel Pinheiro disse...

Belo texto, Richard.

De fato, às vezes eu também duvido se as leis que temos foram feitas para ser seguidas.

Parece que elas são feitas para ser quebradas. Assim, você pode viver sua vida normalmente. Mas, se algum dia, um funcionário público ou membro do governo implicar com você, vai encontrar motivos para te ferrar.

As leis de trânsito são assim também. Claro, a maioria dos amarelinhos e guardas de trânsito são "gente boa" e razoáveis. Mas se um estiver mal-humorado e quiser te multar, é muito difícil que ele não encontre algum motivo.

Djalma Rocha disse...

Excelente artigo !

Breno disse...

Richard,

Que a pena é absurda eu não tenho duvida.

Agora a Daslu sabia muito bem que tinha que pagar imposto de importação.

E ela sabe muito bem que a margem de lucro do negocio dela comporta o pagamento de imposto, custo e lucro.

A Daslu foi gananciosa ela não robou o estado, ela robou as pessoas que compravam os produtos de luxo achando que no preço alto existiam impostos de importação quando na verdade não existiam.

Um sonegador deveria ser punido com a devolução do dinheiro sonegado + juros;

Afinal o sonegadora sabia das regras e escolheu montar negocios aqui no Brasil por livre e espotanea vontade.

Não que isso justifique o protecionismo do estado.

Mas contrato é contrato e tem que ser cumprido.

Rafael Silva disse...

Duas frases de Gandhi que vc poderá citar quando for preso:

"Uma lei injusta é por si só uma espécie de violência. Ser preso por violá-la é mais violento ainda."

"Se o homem perceber que é desumano obedecer leis que são injustas, a tirania de nenhum homem o escravizará"